sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Florence and the Machine




Florence and the Machine (ou Florence + the Machine) é uma banda britânica de indie rock, liderada por Florence Welch, com o apoio de Isabella Summers e vários outros músicos. Desde que surgiu, a banda foi muito bem recebida pela mídia, especialmente no canal BBC, e então saiu para o sucesso mainstream.
O álbum de estréia da banda, intitulado Lungs, foi lançado em 6 de julho de 2009 e foi um enorme sucesso comercial na Inglaterra. Em outubro de 2011, Florence lança o segundo álbum, Ceremonials, que estréia em primeiro lugar no Reino Unido e em sexto lugar nos Estados Unidos.
O som de Florence and the Machine é descrito como uma combinação de vários gêneros, incluindo rock e soulLungsvenceu o prêmio MasterCard British Album award no BRIT Awards de 2010. No 53º Grammy Awards, recebeu uma nomeação na categoria Artista Revelação.

No Brasil e países latino-americanos, Florence ainda é pouco conhecida. Apesar desse desconhecimento, a banda ganhou projeção, não só nestes países, mas no resto do mundo, ao compor "Heavy in Your Arms", que faz parte da trilha sonora de "Eclipse", terceiro filme da saga Crepúsculo. Os clipes de Dog Days are Over e Shake it Out são exibidos no programa TVZ geralmente, o que faz com que Florence + the Machine seja mais reconhecida e admirada no Brasil.

Florence and the Machine participou do Summer Soul Festival no Brasil em janeiro de 2012, apresentando-se pela primeira vez no país.

Mais recentemente a música "I'm Not Calling You a Liar" do álbum Lungs fez parte da apresentação dos créditos do jogo de PC e video game: Dragon Age 2. A música foi retrabalhada e ganhou um tom mais melancólico do que a original para se adequar ao estilo sombrio do jogo. E também a música "I'm Not Calling You A Liar" pode ser ouvida na season finale da primeira temporada de Pretty Little Liars

A música "Kiss With A Fist" aparece com destaque no filme Garota Infernal estrelado por Amanda Seyfried e Megan Fox, e fez parte, também, do episódio "10 - Open House", segunda temporada da série americana United States of Tara. No episódio 11 da sexta temporada de Grey's Anatomy toca a música "Cosmic Love", deixando o final do capítulo emocionante. Além de fazer uma participação com a mesma música no 14 episódio da quarta temporada de Gossip Girl. 

A música "Blinding" foi utilizada no promo de divulgação da série Grimm, exibida pelo Universal Channel. E na série The Vampire Diaries tocou a música "Cosmic Love" no episódio 11 da primeira temporada e toca "Never Let Me Go" no episódio 19 da terceira temporada, deixando a cena muito emocionante para os fãs. A música "Seven Devils" também foi utilizada nos ultimos cinco minutos da season finale de Revenge, série de muito sucesso exibida na ABC, conferindo um tom bastante épico ao final do capítulo.

Em novembro de 2011, a banda foi confirmada no Summer Soul Festival, que acontece em janeiro no país. As cidades que receberam os shows são: São Paulo, no dia 24 de janeiro, no Complexo do AnhembiRio de Janeiro, no dia 27 de janeiro, no HSBC Arena e Florianópolis, dia 28 de janeiro, no Stage Music Park.

Também em 2011, foi realizado o MTV Unplugged – A Live Album, por volta do fim do ano em Nova Iorque. Porém, esta apresentação só foi exibida a partir de 23 de junho de 2012 na MTV Brasil.

Florence ganha cada vez mais notoriedade nos charts, ocupou a posição número 21 na Billboard Hot 100, com "Dog Days Are Over", logo após o Video Music Awards 2010. "What the Water Gave Me" alcançou recentemente a posição número 8 no iTunes UK, uma boa posição para uma banda cada vez mais mencionada pela mídia e que aumenta seu espaço de sucesso com muita rapidez e de forma impressionante.

As melhores posições na parada Billboard Hot 100 dos Estados Unidos são: "Dog Days Are Over" (#21), "Shake it Out" (#73) e "What the Water Gave Me" (#91).

O álbum Lungs, de 2009, já vendeu 3,5 milhões de cópias ao redor do mundo até então, e Ceremonials de 2011 já passou dos 2,1 milhões de unidades encomendadas.

Nenhuma artista britânica hoje é tão completa quanto Florence Welch, nada que venha da velha Inglaterra consegue superar a tonalidade épica, a beleza sentimental e a estranha energia cativante que se expande em cada composição entoada pela musicista londrina. Protegida por uma armadura conceitual e uma naturalidade de diva pop, Welch faz com que cada uma de suas canções se convertam em clássicos, ou como seu novo álbum aponta, pequenas etapas de um gigantesco cerimonial.
Se os dias de cão acabaram, agora a britânica só quer saber de se libertar e enterrar o passado, pelo menos é o que aponta Shake It Out, primeira composição que realmente nos fez perceber do que se trata Ceremonials (2011, Island), um disco que foca no movimento e na continuidade sentimental e mundana. Se através de Lungs, seu debut de 2009, era visível o quanto Welch sufocava, quase afogada em um oceano de relacionamentos que não deram certo e doses policromáticas de melancolia, aqui temos o oposto, a consagração.

Embora o toque épico e a grandiosidade penetrassem cada uma das 13 faixas construídas em sua estreia, com essa sequência musical Florence surge ainda mais magnânima, quase intocável, permitindo que a intensa dose de misticismo que se derrama sobre suas faixas tragam ao disco um toque de constante exaltação. Tudo é forte, impactante. Dos vocais aos mínimos cruzamentos musicais, cada música parece feita para explodir, como um rock de arena conduzido em arranjos de música clássica, quase uma versão feminina para o Queen da fase A Night at the Opera.

Além da eficaz companhia dos parceiros do The Machine – formada por Robert Ackroyd, Christopher Lloyd Hayden, Isabella Summers, Tom Monger e Mark Saunders -, em seu recente trabalho, Welch encontra forças em um novo parceiro musical: Paul Epworth. Sempre lembrado pela produção de álbuns memoráveis e marcados pela originalidade pop – como Pala do Friendly Fires eSilent Alarm do Bloc Party -, o britânico surge para acrescentar o elemento que faltava ao trabalho Florence.

Todo o emaranhado de arranjos instrumentais calcados na música erudita acabam contando com um acréscimo de música pop volátil e descontraída. É a mesma Florence de dois anos atrás, porém, capaz de dialogar com todas as frentes de ouvintes. Daqueles que anseiam por um registro monumental aos que clamam por um trabalho fácil e marcado de hits. Epworth parece ter libertado a mesma energia que Welch e sua banda transparecem ao vivo para dentro do estúdio, fazendo nascer um álbum entusiasmado, capaz de convencer e motivar o ouvinte em curtos segundos de sua execução.

Mesmo bem estruturado e carregado de boas composições, Ceremonials poderia ser apresentado como um trabalho mais curto (apenas 10 faixas seriam mais do que suficientes), evitando que a extensa duração do álbum possa transformá-lo em um trabalho penoso. Se havia qualquer tipo de medo em relação ao famigerado “segundo disco” de Florence Welch isso já pode ser deixado de lado, afinal, com o substituto de Lungs a musicista revela não ser apenas uma simples promessa da música britânica, mas uma sólida garantia.

Em uma entrevista feita com a cantora o primeiro tópico abordado foi o fato de Florence ter abolido completamente as bebidas alcoólicas. Segundo a cantora, a decisão foi tomada para preservar a voz dela. "Fiquei um pouco decepcionada quando descobri que deu certo", ironizou.


Em seguida, Florence disse que nunca teve um conto de fadas preferido, porque sempre gostou de inventar os próprios com a irmã dela, com foco especial nos modelitos de princesa das duas. "Eu e minha irmã ficávamos dizendo coisas como 'eu tenho uma coroa de rubis, sapatos de esmeralda e vestido de ouro'", lembrou a cantora de Dog Days Are Over.

Florence Welch também contou que gastou muito dinheiro para gravar Breath of Life, trilha do filme inédito Branca de Neve e o Caçador, com uma orquestra completa, mas  se disse encantada com a experiência. A ruiva também disse que sonha em fazer uma parceria com Kanye West.

Mas a maior revelação de Florence foi sua obsessão pelo cantor Usher. Segundo a musa, a faixa Confessions é a preferida dela. "Um dia desses eu estava falando sobre como essa música é incrível! Ela praticamente resume quem eu sou", desabafou.

A Lot of Love a Lot of Blood



1. Dog Days Are Over
2. Kiss with a Fist
3. You've Got the Love
4. Hospital Beds
5. Dog Days Are Over (an Optimo (Espacio) Mix)
 



Lungs



1. Dog Days Are Over
2. Rabbit Heart (Raise It Up)
3. I'm Not Calling You a Liar
4. Howl
5. Kiss with a Fist
6. Girl with One Eye
7. Drumming
8. Between Two Lungs
9. Cosmic Love
10. My Boy Builds Coffins
11. Hurricane Drunk
12. Blinding

Bonustrack
13. You've Got the Love 


Ceremonials


1. Only If for a Night
2. All This and Heaven Too
3. Spectrum
4. Heartlines
5. Seven Devils
6. No Light, No Light
7. Lover to Lover
8. Breaking Down
9. Never Let Me Go
10. What the Water Gave Me
11. Shake It Out
12. Leave My Body






Nenhum comentário:

Postar um comentário