sábado, 11 de fevereiro de 2012

Chapéu Fedora



De grande sucesso no século XX, a partir da década de 20, o chapéu Fedora, também conhecido como Borsalino, é um tipo de chapéu, feito em regra de feltro e fabricado no formato similar ao chapéu Panamá.

A princípio, Fedora, é um nome feminino russo para "Teodora". Embora não exista uma ligação fática entre a popularidade do chapéu e uma peça teatral, a história conta que o mesmo teve sua popuridade e nome adquiridos a partir da peça teatral de nome "Fédora", de Victorien Sardou, em homenagem a Sarah Bemhardt. Ademais, no início do século XX, o mesmo chapéu causou frisson entre os adeptos da moda nobre devido a ópera por Umberto Giordano, onde Enrico Caruso, no papel principal, utilizava o tão afamado chapéu. A partir daí, este simples acessório de moda, tornou-se símbolo de nobreza e estilo elegante.

Não obstante a origem russa do chapéu, cabe ressaltar que a fábrica italiana de chapéus e acessórios masculinos Borsalinos, reivindica a criação do modelo do chapéu, que tinha sua matéria prima a pele de coelho. Além disso, vale lembrar que no Reino Unido, o chapéu fedora é conhecido como Trilby.
Na década de 40, Hollywood popularizou ainda mais a utilização do chapéu através de suas figuras icônicas como Humphrey Bogart, em Casablanca. No entanto, a indústria do cinema também foi responsável por mitificar, ou melhor, esteriotipar, a utilização deste acessório como símbolo de personagens misteriosos, gângsters e poderosos chefões. Mas ainda assim, tal chapéu nunca deixou de ser clássico e elegante para os seguidores de uma moda que denotava status social.

Nos dias atuais, a moda Fedora retorna para ambos sexos como acessório de estilo e coringa para quem procura inovar no visual. Não importa a estação ou estilo, o chapéu Fedora adequa-se aos mais diversos estilos e versatilidades. Basta usar, ou melhor, ousar no no estilo.

























Nenhum comentário:

Postar um comentário