sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A Última Amante (Une Vieille Maîtresse / The Last Mistress) 2007


Na mundana Paris do século XIX, só se fala no casamento do jovem libertino Ryno de Marigny com a bela e pura Hermangarde, uma flor da aristocracia. Os noivos se amam, porém as más línguas insinuam que Ryno não vai conseguir romper um antigo romance com a Vellini, uma cortesã escandalosa, filha de uma duquesa com um toureador. Entre confidências, traições e segredos numa sociedade paralisada pelas convenções, a força dos sentimentos vai provocar os acontecimentos. Baseado no romance de Barbey d’Aurevilly, com o mesmo título do filme. Exibido na Seção Competitiva de Cannes 2007.

Entrando no ritmos dos longas franceses, “Une Vieille Maitresse” ou a “Última Amante” é um longa metragem diferente em todos os aspectos. Catherine Breillat, a famosa cineasta francesa e também responsável pelos dois longas escandalosos, o Anatomie de l’enfer (2004) e Romance (1999), cheios de cenas de sexo altamente evidenciadas, nos traz esse filme de época que é uma adaptação do romance “Une Vieille Maitresse”, de Jules-Amédée Barbey d’Auverilly.

O filme é Francês e sendo assim a língua do filme é francesa. Parece tolice comentar a língua do filme, mas existem alguns filmes de época, que retratam a frança,  mas que são em língua inglesa, e o fato de ser em Francês acaba criando um certo desconforto para algumas pessoas que não curtem filmes franceses.

Mas falando um pouco do filme, a direção é diferente do que estamos acostumados, os diálogos são longos, quase não há música nas cenas, seja ela para dar ênfase na cena ou que faça parte da cena, acredito que hajam duas ou três apenas. Há muita cena de sexo, com muita riqueza de detalhes, cenas essas que duram bastante tempo, tempo suficiente para deixarmos sem graça, caso você esteja assistindo com pessoas de cerimônia, uma irmã, pai,mãe, filhos, etc.

O figurino é muito bonito, assim como a fotografia do filme. Mas o filme é bom? Sim, é. Mas não é o tipo de filme para qualquer um assistir, é preciso gostar do gênero, da origem e do elenco. Assistam em casa em DVD, é um filme interessante que explora o aspecto da mulher do século 19 que de um lado é uma aristocrata cheia de pudores e de outro uma mulher mundana, que vive sua sexualidade sem nenhuma restrição frente a uma sociedade altamente repressiva da época.









Nenhum comentário:

Postar um comentário