terça-feira, 30 de agosto de 2011

Clube de vampiros em Londres



Um clube de vampiros em Londres está à caça de novos membros para participarem de festas extravagantes, viagens à Transilvânia e noites de caçada aos morcegos. O clube alerta, no entanto, que moradores de caixões e bebedores de sangue não devem se candidatar.

Com um gosto especial por dentaduras feitas sob medida com caninos afiados, maquiagem intensa e roupas góticas, os membros do Grupo de Vampiros de Londres (GVL) afirmam que o que os une é o fascínio pela aura romântica dos vampiros, e não o gosto pelo sinistro ou tenebroso.

Durante o dia eles podem ser advogados ou programadores vestidos em roupas conservadoras, mas, quando escurece, eles são transformados em vampiros por meio de roupas extravagantes.

O Baile Gótico de Halloween, que ocorre todos os anos na cidade inglesa de Whitby, onde Bram Stoker se inspirou para escrever "Drácula", tem dia fixo no calendário. São planejadas viagens para os castelos na República Tcheca, e para New Orleans, cenário de “Entrevista com o Vampiro” de Anne Rice.

"Sempre fui fascinada por vampiros. Eles são muito retratados como poderosos e bonitos. O que encanta é o romantismo de tudo que diz respeito ao tema", relatou Rebecca Summers, 35, secretária do GVL, que foi fundado há cerca de 12 anos.

Com cabelos compridos e negros, lábios vermelhos e uma porção de espartilhos, armações e roupas de PVC compondo seu guarda-roupas, ela diz que os colegas de trabalho não se incomodam com sua fixação por vampiros e lendas sobre vampiros, que datam de milhares de anos e estão presentes em quase todas as culturas do mundo. Mas convencer o marido a se livrar da coleção de CDs do "Coldplay" e mandar fazer dentes caninos sob medida é mais desafiador, diz Summers, que carrega na bolsa seu próprio kit de dentes afiados.

Poucos membros do GVL acreditam que os maníacos sugadores de sangue protagonizados nos filmes de terror de Hollywood estão perambulando pelas ruas de Londres, vestindo capas pretas e sugando o sangue de humanos e animais a fim de conservar a imortalidade, mas alguns crêem em personalidade do tipo vampiro.

"Existem pessoas que acreditam em vampiros psíquicos, ou seja, pessoas que agem como vampiros. São muito predatórias, e sugam a energia de outras pessoas", explica Summers. "Mas existem mesmo algumas pessoas estranhas que acreditam que precisam beber sangue para sobreviver. Com estas eu só troquei e-mails."

O interesse do GVL é lançar os fãs de vampiros em um prisma positivo depois de ter passado por uma investigação há alguns anos, quando uma alemã, condenada junto com o marido por um assassinato satânico, disse que havia se tornado uma vampira nas chamadas “festas de mordidas" em Londres. "De uma certa forma, exercemos uma função social positiva – corrigindo idéias errôneas", disse Smith, que edita a revista Chronicles do GVL, com artigos sobre vampiros na literatura, sacos de dormir no formato de caixões e a coluna de conselhos ao leitor "Vindicator" ("Defensor").

"Para mim, as coisas mais horripilantes que acontecem no mundo estão nos noticiários, não nos filmes de terror", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário