segunda-feira, 20 de junho de 2011

Les Amours Imaginaires


O ano é 2010, direção de Xavier Dolan, estrelando Monia Chokri, Niels Schneider e também o próprio Xavier Dolan. Esse diretor/ator veio a tona principalmente aos seus vinte anos, com o filme J’ai Tué Ma Mère. Essa nova obra dele, contamos com uma fotografia exemplar, linda. Além de uma trilha sonora bem colocada e também pautada com doses enormes de silêncio de canções, deixando somente os sons de fundos da cena.

Cada cena é transmitida como se fosse um quadro, com uma qualidade técnica impressionante, elementos bem colocados no plano. Arrisco dizer que em todo o momento de Les Amours Imaginaires sentimos um tom artístico, tomadas de cena que remetem a outros filmes e tudo o mais. Tratando desse assunto em especial podemos ver que o filme além de conversar com outras obras, existem citações explícitas à cultura pop de um modo interessante, sem ser cansativo.Uma daquelas obras que devem ser apreciadas, que alguns seres humanos precisam entender que o foco principal não é no plot da história e sim em como ela é transmitida. Até porque teoricamente não existe arte alguma em um aspecto existente em nossas vidas, o que torna isso bom de ser visto é como a apresentação dos fatos são mostrados na tela.

Pra citar uma eu digo quando os dois personagens principais, Marie e Francis, quando avistam Nicolas dançando com sua mãe Désirée. Ela está com um cabelo na cor azul, e eles dizem que ela parece a faxineira do Capitão Spock.

A história principal é a seguinte, como dois amigos compostos por uma mulher heterossexual e um homem homossexual, que se apaixonam simultaneamente por um homem, Nicolas. Observamos o desenrolar da história, de como os dois amigos tentam fingir que está tudo bem, quando na verdade estão tentando conquistar Nicolas e não demonstrar os ciúmes doentios que possuem um do outro.

Depois acabam por se afastando, brigando, ou seja, colocando em risco a amizade tão sincera que os dois tinham antes de e apaixonarem por Nicolas. Algo que fiquei fascinado foi a versão italiana da música Bang Bang de Nancy Sinatra, e diversas outras canções, na realidade não há nenhuma que desgostei. Gostei muito de uma cena em particular em que Francis está em um cômodo com a porta fechada e a canção da festa, que está acontecendo na casa, tocando em um volume mais baixo. De repente a Marie sai do cômodo onde eles estão e observamos que a medida que a porta se abre o som da balada aumenta de maneira aburda, como seria na realidade, e a porta vai se fechando a trilha sonora começa a abaixar o volume novamente. 


Sinopse:

“Amores Imaginários” retrata a história de três amigos íntimos que se envolvem num triângulo amoroso.
Francis (Xavier Dolan) e Marie (Monica Chokri) são bons amigos. Um dia conhecem Nick (Niels Schneider), um jovem que acabou de se mudar para Montreal.

De encontro a encontro, a cada momento, incontáveis problemas aparecem - alguns reais, outros imaginários. Francis e Marie envolvem-se cada vez mais numa fantástica obsessão.

Logo, eles se vêem à beira de um duelo amoroso que põe em risco a amizade que uma vez eles pensaram ser indestrutível.

É um drama sobre as várias nuances de uma relação amorosa, do início ao seu fim, seguindo a premissa de que todas as histórias de amor são mais imaginadas do que queremos acreditar.


Título Original: Les Amours Imaginaires
Título Internacional: Heartbeats
Título no Brasil:
Diretor:
Xavier Dolan
Roteiro: Xavier Dolan
Categoria: Drama | Romance
Origem: Canadá
Duração: 95 minutos.
Ano de Produção: 2010
Lançamento no Brasil: sem previsão
Elenco:
Xavier Dolan como Francis, Niels Schneider como Nicolas, Monia Chokri como Marie, Anne Dorval.

 












Nenhum comentário:

Postar um comentário