sábado, 30 de abril de 2011

Casamento Real: William e Kate Middleton



Kate Middleton usou um vestido deslumbrante, mas simples, criado pela estilista Sarah Burton, da grife Alexander McQueen para se casar com o príncipe William nesta sexta-feira e completou o visual com uma tiara emprestada pela nova sogra, a rainha Elizabeth.

Fashionistas em todo o mundo especularam durante meses sobre quem assinaria o vestido, um feito que definiria a carreira por se tratar de criar o traje mais comentado da década.

O vestido tinha um aplique de renda feita à mão sobre seda e cetim na cor marfim, com uma longa cauda. Inspirado no novo brasão de Middleton, os brincos de Kate foram feitos com diamantes em formato de folhas e frutos de carvalho.
"O vestido é absolutamente mágico -- parece que foi feito por pássaros azuis", disse Angela Buttolph, editora do site da revista de moda Grazia.

"É o vestido perfeito de princesa da Disney para o que tem sido o maior conto de fadas da Walt Disney, desde o príncipe encantado fardado de vermelho, a floresta encantada na abadia e ela parecendo com uma donzela radiante."
A identidade do estilista e os detalhes do vestido foram mantidos em segredo pelo Palácio St. James durante o período que antecedeu o casamento de Kate Middleton com o príncipe britânico William.
Uma marquise especial foi erguida em frente à entrada do hotel onde Kate se preparou, em Londres, para impedir que qualquer um pudesse dar uma espiadela no traje antes de a noiva sair do carro em frente à abadia de Westminster. A multidão em frente ao local do casamento estava totalmente surpreendida com o vestido e com a noiva.
"É exatamente o que eu estava esperando para ela -- simples e lindo," disse a aposentada Sarah Jones. "Ela é uma noiva linda."
Jornais e sites pelo mundo já haviam divulgado diversas informações identificando o estilista, mas nenhum foi confirmado.
Nomes que foram apresentados nos artigos e blogs incluíram Bruce Oldfield e Sophie Cranston da grife Libelula.
O mundo da moda mostrou forte interesse nas roupas da noiva de 29 anos nos últimos meses, e especialistas da indústria da moda fizeram previsões de que ela teria uma enorme influência sobre as vendas no mercado.
"A indústria da moda agora está oficialmente estupefata com Kate Middleton e todos no escritório estão em lágrimas," disse Grazia Buttolph.
Comparações intermináveis foram feitas entre Kate Middleton e a falecida mãe de William, a princesa Diana, um ícone de estilo até o momento de sua morte em 1997, aos 36 anos. O vestido de Kate Middleton foi radicalmente diferente daquele usado por Diana em seu casamento com o príncipe Charles em 1981, um modelo de babados e rendas na cor creme, desenhado por Elizabeth Emanuel.
Antes do casamento desta sexta-feira, Emanuel disse à Reuters que Kate é mais velha e mais segura em termos de moda do que Diana, de 20 anos, então provavelmente saberia melhor o que gostaria de vestir para seu grande dia.
"Com Diana, ela era muito jovem quando fomos apresentados a ela, e a moda não era um de seus maiores interesses, então ela realmente não tinha seu próprio estilo", disse a estilista Elizabeth Emanuel.
"Mas Kate Middleton tem. Ela trabalha com moda. Ela sabe o que fica bem nela."
Aqui no Brasil, nós sabemos que uma madrinha jamais deve usar branco, marfim ou bege em um casamento. Isso é considerado uma das maiores gafes que ela pode cometer, pois é como se estivesse tentando roubar a atenção que é da noiva. Mas na tradição inglesa, isso é diferente.
A irmã de Kate, Philippa Charlotte Middleton, usou um vestido branco: um modelo feito exatamente para lembrar o vestido da noiva, como se fosse um acessório dele. Claro que o modelo foi bem simples e não ofuscou o brilho da noiva. Phillippa segurou a cauda do vestido de Kate com muita graça, quando foi necessário, e deu suporte às daminhas de honra.
O vestido de Phillippa, assim como o de Kate, é da grife Alexander McQueen.  O modelo com mangas curtas e decote capuz manteve Phillippa jovem e descontraída e o corte sereia evidenciou sua figura esbelta. Nas costas, o vestido foi arrematado por vários minúsculos botões forrados de seda. O cabelo seguiu o romantismo e a simplicidade do da Princesa Kate Middleton.
O príncipe William fez questão de que sua mãe, a princesa Diana, não "perdesse", em suas próprias palavras, a cerimônia e as comemorações de seu casamento com Kate Middleton na abadia de Westminster nesta sexta-feira. Sua noiva usou o anel de noivado de Diana, um hino cantado no enterro de sua falecida mãe foi entoado durante a cerimônia e Elton John - que cantou "Candle in the Wind" no funeral de Diana - estava presente entre os convidados.
Quatorze anos atrás, os olhos do mundo assistiram quando William, então com 15 anos, caminhou solenemente atrás do caixão de sua mãe pelas ruas lotadas de Londres rumo ao funeral. William se casou com Kate Middleton diante de 2 mil convidados e um público de milhões por todo o mundo. Mas a pessoa mais notável por sua ausência foi Diana, que morreu em um acidente de carro em Paris em 1997.
A partir do momento em que o casal anunciou seu noivado em novembro passado, William fez absoluta questão de que a lembrança de Diana não fosse esquecida, dando a Middleton o grande anel de noivado oval de safira e diamantes de sua mãe.
"É muito especial para mim", disse William aos repórteres na ocasião. "É minha maneira de garantir que minha mãe não perca o dia de hoje e a empolgação e o fato de que vamos passar o resto de nossas vidas juntos."
Os preparativos do dia e da própria cerimônia estiveram repletos de lembretes de Diana.
"O único lado negativo (do casamento) é o lado triste", disse Joan Lunden, apresentadora de TV norte-americana que cobriu o casamento de Diana em 1981 e é parte da equipe de cobertura do casamento real do canal Fox News.
"Aquele pensamento 'Caramba, queria que Diana estivesse aqui.'"
Antes do casamento, o casal teria visitado o túmulo de Diana, numa ilha na propriedade de sua família em Althorp, no centro da Inglaterra.
"Foi muito importante para William levar Kate para visitar sua mãe antes do dia do casamento", disse uma fonte ao jornal Daily Mirror. "É trágico que ela não esteja lá para ver a cerimônia e que nunca tenha conhecido a noiva."
O discurso de casamento foi realizado pelo Bispo de Londres, Richard Chartres, que conhecia Diana desde seu casamento em 1981 com o príncipe Charles, pai de William, e foi o executor de seu testamento. Ele também fez um discurso na cerimônia que marcou o décimo aniversário da morte de Diana. Um dos hinos escolhido pelo casal para o serviço, "Guide Me, O Thou Great Redeemer" (Guia-me, Ó Grande Redentor, em tradução livre), foi o último a ser cantado no funeral de Diana.
O príncipe William e a sua nova esposa deixaram neste sábado o Palácio de Buckingham após se casarem em uma cerimônia deslumbrante que misturou tradições reais de séculos com momentos particulares de qualquer jovem casal. Após uma festa para amigos e família à noite, estava previsto que o casal fosse viajar em lua de mel, embora o destino seja desconhecido. Contudo, um porta-voz da realeza afirmou que eles deixaram o palácio de helicóptero na manhã deste sábado.
O príncipe e Kate Middleton, que é sua namorada há quase uma década, casaram-se na Abadia de Westminster, em Londres, na sexta-feira, em uma cerimônia que atraiu as atenções de todo o mundo.
Um milhão de pessoas tentaram dar uma olhada nos recém-casados enquanto eles deixavam a abadia em direção ao Palácio de Buckingham, em uma carruagem a céu aberto. Um jornal calculou que a audiência mundial tenha sido de três bilhões de pessoas.
Comentaristas elogiaram a família real pelo equilíbrio entre a pompa e a cerimônia, que teve bandas militares com chapéus de pêlo de urso e cavalarianos com peitorais brilhantes, e também espontaneidade pessoal.
"Os britânicos ainda sabem como combinar esplendor, solenidade, romance (e chapéus bizarros) melhor do que qualquer outro povo no mundo", escreveu Sarah Lyall, do jornal International Herald Tribune.
William, de 28 anos, levou a noiva de carro por um pequeno caminho do Palácio de Buckingham até o Palácio St. James em um Aston Martin conversível de seu pai, com a placa "JU5T WED" (recém-casados). O beijo na sacada do palácio estava estampado nas capas dos jornais deste sábado.
"Isso marca uma mudança em nosso país", escreveu Geordie Greig, do jornal londrino Evening Standard. A união de William e Kate foi "uma injeção necessária de refresco por parte da família real."
Comentaristas esquerdistas foram menos efusivos, mas o tom geral foi predominantemente positivo.
"Kate está no carro, começando uma carreira de acenos com um movimento tímido, estranhamente inclinado", afirmou Zoe Williams, do The Guardian. Uma manchete, do The Independent, dizia: "Em todo o país, as pessoas se reuniram para a ocasião. Até alguns republicanos participaram."
A imprensa britânica também mostrou fotos da irmã de Kate e dama de honra Pippa em um vestido provocante. "Pippa é a pessoa mais desejada do mundo?", perguntou o The Daily Telegraph.
A intensa especulação sobre qualquer movimento do casal realça a pressão que ambos enfrentarão como futuros rei e rainha, vivendo sob os holofotes da mídia. Paralelos foram traçados entre Kate e a Princesa Diana, mãe de William, que estava cercada de paparazzi até no momento de sua morte, em um acidente de carro em um túnel de Paris em 1997, quando tinha apenas 36 anos.
Sua morte e o divórcio do herdeiro do trono, príncipe Charles, no ano anterior, marcaram uma baixa na família real, que também foi envolvida em outros escândalos e é vista por muitos como fora de compasso com o público britânico, principalmente durante tempos de austeridade econômica.
Mas as situações cercando Kate, a primeira plebeia a casar com um príncipe próximo ao trono britânico em mais de 350 anos, e o estilo atraente de William ajudaram a reverter a aprovação da monarquia em recentes pesquisas de opinião, pelo menos por enquanto. Não que o casamento tenha sido elogiado em todo o mundo.
"A família real tem muitos direitos em um país onde outras pessoas têm tido seus direitos retirados. Estamos financiando um casamento de duas pessoas que nem conheço e para as quais eu absolutamente não ligo", afirmou Jessamy Barker, de 29 anos, que faz trabalhos de caridade.
Kate recebeu o título de Sua Alteza Real, a Duquesa de Cambridge, após a rainha ter declarado seu neto William o Duque de Cambridge para marcar o casamento.
Apesar de terem embarcado em um helicóptero neste sábado, ainda não será desta vez que o príncipe William e Kate Middleton iniciarão sua viagem de lua-de-mel. Os recém-casados e agora duques de Cambridge vão passar o fim de semana no Reino Unido, informou um porta-voz da residência real de St James's Palace. Na próxima semana, William retomará normalmente seu trabalho como piloto de helicópteros de salvamento e resgate da força aérea britânica na base da ilha de Anglesey.
O porta-voz real não revelou o local escolhido pelo príncipe e sua esposa para passar o fim de semana, nem quando acontecerá a viagem de lua-de-mel, cujo destino é guardado a sete chaves. A imprensa britânica especula que a paixão de William pela África - foi no Quênia que pediu Kate em casamento -, pode pesar para que eles sigam para este continente, embora tenham sido ventiladas as possibilidades de o casal ir para a Jordânia, onde a agora duquesa viveu durante dois anos quando era criança - ou alguma ilha de difícil acesso no Caribe.
Outra aposta aponta como destino a ilha Lizard, na costa do estado australiano de Queensland, embora esta opção pareça mais difícil pela distância e o fato de William ter apenas 15 dias livres antes de retornar a seu posto. Há ainda as hipóteses de que os recém-casados sigam para o Chile, onde ambos passaram temporada quando eram estudantes, ou mesmo a Escócia, em uma das propriedades da rainha Elizabeth II.
Os analistas da imprensa britânica não pouparam elogios neste sábado ao casamento real do príncipe William com Kate Middleton, ao mesmo tempo que consideraram que o evento deu um estímulo mais que necessário ao país em tempos de dificuldades. Os jornais descrevem encantados o ambiente festivo criado na sexta-feira em Londres pelos britânicos e os milhares de admiradores de todo o mundo que acompanharam o evento.
"O casamento proporcionou à nação uma reunião sem divergências de partido, sem pretextos para a discórdia política", destacou o jornal The Times.
"Em um momento tão difícil para a Grã-Bretanha, quando a moral nacional está baixa, o sol brilhou e todo o mundo pôde compartilhar os risos e a felicidade", afirmou o jornal conservador.
O matrimônio aconteceu em um momento no qual os britânicos enfrentam grandes dificuldades no setor de emprego, assim como os mais severos cortes dos gastos públicos em décadas, anunciados recentemente pelo governo de coalizão liberal-conservador, que pretende reduzir um déficit público recorde.
O tablóide mais vendido da Inglaterra, The Sun, destacou que o casamento de William e Catherine, que agora ostentam os títulos de duque e duquesa de Cambridge, deu um grande estímulo ao país.
"A Grã-Bretanha mostrou ontem ao mundo que tem bom coração, que é capaz e que está aberta aos negócios", disse.
"Nossos novos e jovens duque e duquesa têm um papel importante a desempenhar em nossa recuperação", afirma.
Ninguém esqueceu que bela cerimônia foi uma distração ante os problemas e a austeridade, mas alguns jornais também destacaram uma tentativa de desviar a atenção de assuntos mais importantes.
"No mundo real, debaixo da fina camada de pompa, há desajustes sociais cujas brechas começam a aparecer", advertiu o The Guardian, jornal de esquerda e antimonárquico.
"A renda da maioria das residências está caindo de uma maneira que não acontecia desde os anos 1920. Estão sendo eliminados serviços e centenas de milhares de trabalhos", completou.
Para a maior parte da imprensa, o casamento serviu para melhorar a imagem da família real ante a sociedade, depois dos traumas da geração passada, incluindo o divórcio dos pais de William, Charles e Diana, e a morte de Lady Di em um acidente em Paris em 1997.
"O casamento demonstrou de forma poderosa o valor da monarquia", escreve o Times.
Millie Pilkington, a fotógrafa contratada para imortalizar a parte mais íntima do casamento do príncipe William e Kate, revelou neste sábado alguns detalhes da festa noturna no palácio de Buckingham que contou com a presença de parentes e amigos mais íntimos do casal.
Amiga da família de Kate, ela já foi a encarregada de fazer um álbum particular do segundo casamento do príncipe Charles, o pai de William. Ontem à noite, ela fotografou os 300 convidados que participaram do jantar e a posterior festa no palácio de Buckingham, e na manhã de hoje relatou à imprensa local que os eventos foram "maravilhosos, íntimos e familiares".
Segundo Millie, um dos pontos altos foram os "absolutamente hilariantes" discursos do príncipe Harry, irmão e padrinho de William, e de Michael e James Middleton, respectivamente pai e irmão de Kate. A fotógrafa disse que Kate demonstrou ser uma pessoa "muito doce" ao se aproximar dela em um momento da noite para lhe dizer que se não quisesse fotografar a festa noturna, não haveria problema.
Ela me disse "esqueça a câmera, relaxe, se divirta. Você está aqui como convidada. Aproveite", afirmou Millie, que, apesar do convite, não pôde resistir à tentação de registrar o que via.
"Sendo fotógrafa e estando cercada de tanta beleza, com o lugar e todos esses convidados espantosos, não podia parar, portanto fiz fotos toda a noite e até a manhã", disse.
"A noite foi excitante, absolutamente extraordinária. Durante o dia, foi tudo maravilhoso, foi muito relaxante, excitante e espetacular, mas a noite foi ainda mais mágica", explicou, acrescentando que dormiu mal durante as últimas semanas, ciente da responsabilidade que teria no dia do casamento.
Millie afirmou ainda que pôde ver na parte pública do casamento e na particular que os noivos "estiveram atraídos um pelo outro durante todo o tempo de uma maneira magnética".
"O amor que eles têm é muito evidente. Todo mundo pôde ver que eles são feitos um para o outro", declarou.
A fotógrafa também se disse surpresa com a calma com que Kate teve durante todo o dia, apesar de estar sob os olhares de milhões - ou bilhões - de espectadores que acompanharam a cerimônia pela televisão.
"Ela estava tão relaxada (...). Deixou um ar de tranquilidade e serenidade", comentou Millie, cujas fotos não serão divulgadas ao público.
Já a Clarence House, a residência do príncipe Charles, divulgou as primeiras fotos oficiais do casamento, entre as quais se destaca uma de corpo inteiro do casal, outra junto aos sete pajens e o retrato das famílias dos noivos.
Um casamento real para tempos de austeridade com carruagens puxadas por cavalos, cerimônia na abadia de Westminster e uma 'bateria' de câmeras de televisão.
Se você pudesse viajar no tempo veria que a pompa e a ostentação do casamento do príncipe William planejado sob o olhar atento da imprensa global é quase uma réplica perfeita do dia de casamento da sua avó, a rainha Elizabeth, 64 anos atrás.
Ao pesquisar nos arquivos da Reuters pelo dia 20 de novembro de 1947, quando a princesa Elizabeth casou-se com o tenente Philip Mountbatten, é possível ter uma ideia de quão pouco as formalidades dos grandes eventos reais mudou nestes anos, mesmo com grandes mudanças na sociedade e saltos tecnológicos.
Na Inglaterra que William e Kate vão casar só algumas pessoas usam chapéus para trabalhar diariamente, a maioria tem televisão e tem poucas memórias diretas da Segunda Guerra Mundial. Apenas alguns parágrafos das reportagens em 1947 apontam para as diferenças culturais.

'Em épocas normais, terraços seriam erguidos ao longo do percurso', disse o correspondente da Reuters Leslie Haynes em um longo artigo detalhando a procissão prevista.
'Mas a Inglaterra de hoje não tem a madeira e o aço necessário e, de qualquer maneira, não pode investir o trabalho e o tempo de homens para erguer esse tipo de terraços', acrescentou Haynes, referindo-se aos enormes esforços necessários para reerguer a Inglaterra e a sua economia depois da guerra.
O racionamento de comida ainda estava em vigor em 1947, o que significava que as famílias podiam apenas comprar bens de consumo como pão usando cupons impressos pelo governo para evitar escassez de alimentos.
O casamento de William e Kate também foi descrito como um evento para tempos de austeridade, com os britânicos apertando os seus cintos depois da crise financeira. Os dois vão chegar em carros - não em uma carruagem de vidro, como a rainha fez - ainda que os recém-casados vão retornar ao palácio de Buckingham em uma carruagem aberta.
Os arquivos também dão acesso a um mapa mundial bem diferente, evocando os momentos finais do império britânico com referências que eles usavam para países e locais - como Tanganyika - nomes hoje que estão intrinsecamente ligados à história colonialista do país.
Uma das reportagens detalha como 'Pandit Nehru', primeiro ministro da Índia, que tinha conseguido a independência da Inglaterra meses atrás, foi às compras com o ministro da saúde do país para escolher um presente de casamento para Elizabeth.


A maior parte do restante da cobertura tem algo familiar. 'Planos detalhados estão sendo criados para a cobertura do casamento pelas organizações de notícias, rádio e fotografia ... Isso vai gerar ao mundo um dos mais completos registros de um único evento na história da Inglaterra', escreveu Haynes em 1947.
É o casamento do ano, se não o do século. Com pessoas acampando no meio da cidade de Londres para ver de perto essa cerimônia, esse casamento real tem umas curiosidades que não é qualquer casamento que tem.
O bolo de casamento de William e Kate virá em versão dupla. Um será escolhido pela noiva, e é mais tradicional, decorado com flores comestíveis. Já o bolo de William será um dos favoritos do príncipe. O que se sabe é que ele é feito de biscoito de chocolate, mas nenhum outro detalhe foi revelado pois trata-se de uma receita secreta da Família Real.
Logo depois do casamento, William e Kate vão para o Palácio de Buckingham, em Londres, e serão recebidos pela harpista oficial do príncipe Charles, Claire Jones, que oferecerá um recital de música clássica ao casal real.

Desde que o anúncio do casamento real foi feito, vários suvenires foram criados. Um dos mais bizarros, no entanto, é um saco de vômito. O artista que o criou espera que, com a euforia do evento, muitos espectadores vão precisar de um saquinho...
Já é sabido que William e Kate dividem a mesma cama na residência do príncipe Charles. Mas com a princesa Diana as coisas foram diferentes. Quando o noivado de Diana e Charles foi anunciado, a rainha Elizabeth II levou a garota ao seu ginecologista para comprovar se ela era virgem.
Falando na rainha Elizabeth, uma fonte próxima ao palácio disse que ela deu ao neto, príncipe William, um pedaço de ouro que está em posse da família real há anos, como presente de casamento.
Em vez de presentes de casamento, William e Kate preferiram que os convidados fizessem doações. Eles criaram um fundo para recolher doações daqueles que quiserem colaborar com ONGs "que atuam em cinco causas escolhidas pelo casal".
http://www.youtube.com/watch?v=tjLKPNu-9gc&feature=relmfu - Chegada
http://www.youtube.com/watch?v=H_Yc9HKkh5M&feature=relmfu - Rainha
http://www.youtube.com/watch?v=QlLaE5ESfOM&feature=relmfu - Victoria e David Beckham, Elton John
http://www.youtube.com/watch?v=skYtvSTwZt4&feature=relmfu - Votos
http://www.youtube.com/watch?v=g7q0l7CpZAY - Chegada de Diana (1981)
http://www.youtube.com/watch?v=rpCCyb0CGQI&feature=related - Diana e Charles na igreja
http://www.youtube.com/watch?v=-D3oUM4qr3I&feature=related - Diana e Charles saindo
http://www.youtube.com/watch?v=WIUnYK-rwAs&feature=related - Um dia depois do casamento
video

Regras do casamento:

As mulheres não deverão vestir vestidos curtos. O serviço de bar será controlado para que não haja exageros com o consumo de álcool. Partilhar fotos do Facebook está proibido. Aqui ficam algumas das regras impostas aos convidados do casamento real do príncipe William com Kate Middleton, esta sexta-feira, em Londres.

Chegada
- Os convidados devem chegar o mais tardar 20 minutos antes da cerimônia. Depois disso, apenas a Rainha Isabel II é que poderá entrar na Abadia de Westminster, minutos antes da noiva.

Vestuário
- Os homens deverão vestir farda (caso sejam das forças armadas), fraque ou fato escuro. As senhoras não deverão usar vestidos brancos, curtos ou demasiado transparentes. O uso de chapéu é aconselhado.

Saudações
- É proibido tocar na rainha Isabel II, exceto na mão, para a cumprimentar. Regra que se aplica a toda a família real, de quem deverá partir a iniciativa de cumprimentar ou não os convidados.

Copo de água
- Durante o copo de água os casais devem permanecer juntos. Quando sentados, os convidados devem manter os cotovelos junto ao corpo para não incomodar os convidados do lado.

Aparelhos eletrônicos
- Os convidados não podem utilizar telemóveis e similares aparelhos. Fazer ou atender chamadas está proibido, assim como enviar mensagens, tirar fotografias, filmar e, obviamente, partilhar informação nas redes sociais.







































2 comentários:

Anônimo disse...

eu costei do vistido da kate de do casamento real eu keria que o pricipi william foce meu ok!!!


nome: isabela

Carol disse...

bahh eu tbb gostaria de um principe pra mim!!! o vestido é lindo sim, mas entre ele e o William...hum! Obrigada pelo comentário!

Postar um comentário