segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Rapunzel, Rapunzel, let down your hair, so that I may climb the golden stair...


As tranças são um jeito prático e bonito de prender os cabelos, podem ser usadas tanto a noite quanto no dia. Existem vários tipos de Tranças, sendo elas, embutidas,  soltas, rabo-de-peixe, entre outras.
Trança é sempre uma opção pra quem não tem idéia do que fazer com o cabelo deixa sempre o rosto em evidência, sem contar que completa qualquer visual. Elas dão um ar de classe e ao mesmo tempo de descontração e pose muito bem ser usada em penteados sofisticados e em eventos de gala, festas ou casamentos.

Desde a Rapunzel do século XVI, as tranças povoam o imaginário feminino. Essa forma de prender os cabelos tem simbologias variadas e pode representar desde o ar inocente infantil, até a elegância das princesas. Além disso, é uma forma charmosa e inteligente de conservar os cabelos crespos sempre arrumados. Nas passarelas (Marc Jacobs, Elie Saab, Alexander McQueen e Luella) ao redor do mundo, nos tapetes vermelhos de Hollywood e no universo fashionista, elas têm aparecido.

A trança é uma forma simples de controlar os fios especialmente naqueles dias em que o cabelo está rebelde. Pode ser aplicada em cabelos longos e médios e enfeitadas com presilhas, grampos ou fitas. Atrizes como Kirsten Dunst, Penélope Cruz, Anne Hathaway, Emilie de Ravin, Jessica Alba, as gêmeas Olsen e Lauren Conrad foram fotografadas com seus exemplares.

Para o cotidiano são recomendadas as tranças francesas, aquelas mais soltas, que deixam o cabelo com movimento no topo da cabeça. Feita com nós suaves entre as três mechas, ela exige um cabelo bem penteado para ficar bonita e apenas um elástico para sustentar as pontas. De acordo com a preferência, pode-se deixar alguns fios soltos cobrindo as laterais do rosto ou oculta-los com um pouco de gel em spray.

Um pouco mais elaborada, a trança embutida contempla toda a parte inferior da cabeça e a moda foi divulgada ao redor do mundo por meio dos africanos. Esse tipo de penteado é bastante versátil, servindo para compromissos formais durante o dia, para a malhação e até para uma festa sofisticada durante a noite. Sua natureza multifacetada deve-se ao fato de ela deixar o rosto inteiramente exposto e pode valorizar muito a maquiagem ou uma roupa com detalhes na gola ou nas alças. A parte superior, perto da testa, pode ser enfeitada com uma tiara discreta ou sustentar um topete de aspecto natural.

A trança holandesa é a melhor opção para quem quer ousar. É a que exige maior prática para ser feita, pois mistura as técnicas francesas e africanas. Fica sempre anexada à cabeça, sem mexas que sigam o pescoço ou os ombros. Pode ser feita tanto em formato de tiara para dar um aspecto de “lolita” ou feita apenas na parte traseira do couro cabeludo para puxar todos os fios para trás e dar um toque elegante, refinado e cheio de personalidade em qualquer visual.

















































































Rapunzel:

É um conto Alemão que está na coleção dos irmãos Grimm, foi publicado em 1812 como parte do livro "Children's and Household Tales". A história dos irmãos Grimm é uma adaptação do conto Persinette de Charlotte-Rose de Caumont de La Force originalmente publicado em 1698.




História: Um casal sem filhos que queria uma criança vivia ao lado de um jardim murado que pertencia a uma bruxa. A esposa, no fim da gravidez, viu uma árvore com suculentos frutos no jardim, e o desejou obsessivamente, ao ponto da morte. Por duas noites, o marido saiu e invadiu o jardim da bruxa para recolher para a esposa, mas na terceira noite, enquanto escalava a parede para retornar para casa, a bruxa apareceu e acusou-o de furto.
O homem implorou por misericórdia, e a mulher velha concordou em absolvê-lo desde que a criança lhe fosse entregue ao nascer. Desesperado, o homem concordou; uma menina nasceu, e foi entregue à bruxa, que a nomeou Rapunzel. O nome da planta que o marido roubou.
Quando Rapunzel alcançou doze anos, a bruxa trancafiou-a numa torre alta, sem portas ou escadas, com apenas um quarto no topo. Quando a bruxa queria subir a torre, mandava que Rapunzel estendesse suas tranças, e ela colocava seu cabelo num gancho de modo que a bruxa pudesse subir por ele.
Um dia, um príncipe que cavalgava no bosque próximo ouviu Rapunzel cantando na torre. Extasiado pela voz, foi procurar a menina, e encontrou a torre, mas nenhuma porta. Foi retornando frequentemente, escutando a menina cantar, e um dia viu uma visita da bruxa, assim aprendendo como subir a torre.
Quando a bruxa foi embora, pediu que Rapunzel soltasse suas tranças e, ao subir, pediu-a em casamento. Rapunzel concordou. Juntos fizeram um plano: o príncipe viria cada noite (assim evitando a bruxa que a visitava pelo dia), e trar-lhe-ia seda, que Rapunzel teceria gradualmente em uma escada. Antes que o plano desse certo, porém, Rapunzel tolamente delatou o príncipe. Rapunzel pergunta inocentemente porque seu vestido estava começando a ficar apertado em torno de sua barriga, revelando tudo para a bruxa (que soube que Rapunzel estava grávida, o que significava que um homem se encontrara com ela). Em edições subseqüentes, Rapunzel perguntou distraidamente por que era tão mais fácil levantar o príncipe do que a bruxa.
Na raiva, a bruxa cortou cabelo de Rapunzel e lançou um feitiço, para que ela vivesse em um deserto. Quando o príncipe chegou naquela noite, a bruxa deixou as tranças caírem para transportá-lo para cima. O príncipe percebeu horrorizado que Rapunzel não estava mais ali; a bruxa disse que nunca mais a veria e empurrou-o até os espinhos de baixo, que o cegaram. lá Durante meses ele vagueou através das terras infrutíferas do reino, e Rapunzel mais tarde deu à luz duas crianças gêmeas. Um dia, ela estava bebendo água e começou a cantar com sua bela voz de sempre. O príncipe ouviu-a e encontrou-se com ela. As lágrimas de Rapunzel curaram a cegueira, e a família foi viver feliz para sempre no reino do príncipe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário