sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Para Stephanie




Isso vai ser para a minha amiga Stephanie que fica me contando essas coisas bizarramente nojentas na hora do intervalo...

Eu sei que nós temos que respeitar as diferenças e tal, mas pelo amor de Deus tem certas coisas que não dá!

Minha amiga recentemente tentou corromper a minha inocência me contando que tem gente que tem fetiches sobre balões. Sim balões!!!! Só de pensar que tem pessoas que precisam de balões para "você sabe o que" me deixa estranhamente feliz por saber que tem pessoas mais estranhas que eu no mundo.

A parafilia é um padrão de comportamento sexual no qual, em geral, a fonte predominante de prazer não se encontra na cópula, mas em alguma outra atividade. São considerados também parafilias os padrões de comportamento em que o desvio se dá não no ato, mas no objeto do desejo sexual, ou seja, no tipo de parceiro.

As parafilias podem ser consideradas inofensivas e, de acordo com algumas teorias psicológicas, são parte integral da psique normal salvo quando estão dirigidas a um objeto potencialmente perigoso, danoso para o sujeito ou para outros, ou quando impedem o funcionamento sexual normal, sendo classificadas como distorções da preferência sexual.

As parafilias são caracterizadas por anseios, fantasias, desejos, vontades, ou comportamentos sexuais; que envolvem objetos, atividades, ou situações incomuns e estranhas. Sendo uma necessidade para se chegar ao orgasmo.


Quando uma pessoa depende exclusivamente do seu modo peculiar e diferente de se excitar, ter orgasmo e alcançar a satisfação sexual; ele é considerado portador de uma parafilia.

Ter uma parafilia significa viver sua sexualidade sem prejudicar a terceiros. Pois, todos têm o direito de nos expressarmos de forma sexual, desde, que não seja negado o direito do outro. A parafilia se transforma em distúrbio psíco sexual quando a pessoa infringe os direitos e as vontades do outro.

Algumas parafilias:

* Fetiche por Balões:

É um fetiche sexual onde o portador se excita ao ver e tocar balões de latex (bexigas, bolas de festa).

O fetiche por balões é derivado da Inflatofilia que é o fetiche sobre infláveis e o ato de inflar. O portador deste fetiche se excita com a forma, volume, movimento e cheiro dos balões. Os balões podem ser usados individualmente para masturbação ou com o parceiro sexual.


É observado, neste fetiche, que seus adeptos tem ou tiveram medos de balões e bexigas na infância. Costuma-se manifestar no início da adolescência. É mais comum em homens que em mulheres.

É considerado um fetiche obscuro e pouco conhecido, mas tem crescido em popularidade na Internet nos últimos anos. Sites comerciais vendem o acesso a galerias de fotos e vídeos de mulheres nuas interagindo com balões maiores que o habitual de tamanho grande. Há também o comércio desses balões maiores para quem deseja adquirí-los.


Os adeptos deste fetiche se auto-denominam Looners; essa sub-cultura se divide em popper e non-popper. Poppers são os que sentem prazer em estourar os balões. Non-poppers são os que sentem prazer em manipular os balões mas sem estourá-los.

Origem:

O filme italiano L'Uomo dei Cinque Palloni de 1965 é a primeira referência cultural conhecida deste fetiche.

Em 1974, o americano Buster Bill enviou a uma revista erótica um anúncio perguntando quem se excitava com balões de festa e pediu que o mandassem cartas. Ele recebeu centenas de cartas de resposta e montou um clube de correspondência com pessoas do mundo inteiro. Em 1994 o clube abriu uma lista de discussão por e-mail que funciona até hoje o Balloon Buddies. Desde então milhares de pessoas do mundo inteiro já passaram pela lista. Com o advento da Internet, esse fetiche se tornou mais conhecido estimulando a criação de muitos sites e comunidades especializadas.


Russian Roulette is not the same without a gun and baby when it's love
if its not rough it isn't fun...


Uma música que mostra alguns desses fetiches é Closer do Nine Inch Nails


Um comentário:

Stephanie disse...

HDASIUDHAISUDUASHDUHSADHSAUIDHUASHDUISAHUDSDHIUASHDUASHDSAHD

By Sté

Postar um comentário